TRANSBORDA - 1ª Mostra Internacional de Artes Performativas de Almada / 18 - 27 JUN 2021

www.transborda.org

A 1ª edição da Mostra Internacional de Artes Performativas de Almada – TRANSBORDA reúne artistas que investigam em seus corpos práticas sensíveis de partilha e linguagens singulares. Um ecossistema de criadores interessados em encontros que possibilitam os deslocamentos, as transformações. Experiências cheias de vitalidade questionadora que transpõem limites entre as artes e entre as pessoas.

Nestes tempos de necessário distanciamento físico acreditamos que as ações presenciais são fundamentais como forma de resistência das artes vivas. A TRANSBORDA é adaptada à situação da pandemia, considerando todas as normas de segurança e explorando formas de aproximação alternativas.

Para a 1ª edição são convidados oito criadores para apresentar cinco obras: João Fiadeiro e Carolina Campos (Portugal/Brasil), Eduardo Fukushima (Brasil), Sofia Dias e Vítor Roriz (Portugal), Michelle Moura (Brasil/Alemanha) e Jonas & Lander (Portugal).

“Ça va exploser” de Carolina Campos e João Fiadeiro é a história de uma crise. A crise de um encontro. Com o outro, com nós mesmos, com o mundo. “O Que Não Acontece” de Sofia Dias e Vítor Roriz coloca gestos e palavras em fricção, possibilitando novos sentidos à linguagem falada e à linguagem do corpo.  “Homem Torto” de Eduardo Fukushima expõe um corpo múltiplo em constante mutação. Uma dança que passa aos olhos do público, é passagem, é caminhada, é ir, é insistência, é movimento nu e cru. “Fole” de Michelle Moura explora o paradoxo de mover e ser movido, gerando instabilidade, exagero e desorientação.“Coin Operated” de Jonas & Lander é uma peça onde o diálogo com o público é direto e participativo. A performance desenha uma nova relação com o espetador, em que o mesmo passa a ter um papel ativo na ação artística.

A TRANSBORDA apresenta, ainda, o projeto Brasil Sequestrado concebido para o formato digital por Eduardo Bonito e Isabel Ferreira, curadores residentes em Madrid. Uma série de palestras performativas compõem um programa criado especialmente para a mostra com a participação dos artistas: Alice Ripoll & Cia REC, Calixto Neto, Princesa Ricardo Marinelli, Zahy Guajajara e Wellington Gadelha. Brasil Sequestrado gera contextos de debate e visibilidade em torno da situação de crise cultural, social e política no Brasil, e apoia a produção e a circulação internacional de obras de artistas brasileiros.

E propõe aproximações aos processos criativos dos artistas convidados através de conversas mediadas por Ruy Filho, crítico de artes, diretor da revista Antro Positivo.

 

TRANSBORDA

Direção Artística 
Adriana Grechi
Amaury Cacciacarro

Produção
Núcleo de Artes Performativas de Almada e Casa da Dança

Apoios
Câmara Municipal de Almada
República Portuguesa – Cultura / Direcção-Geral das Artes