CASA DA DANÇA

A nova direção da Casa da Dança dará continuidade ao projecto implementado pelo coreógrafo Paulo Ribeiro em 2019-20, a convite da Câmara Municipal de Almada, com o objetivo de estabelecer na cidade e no país um centro de dança inteiramente dedicado a esta forma artística.
Com longa experiência em programação internacional e em ações de qualificação artística, Adriana Grechi e Amaury Cacciacarro assumem a direção artística da Casa da Dança com o objetivo de estabelecer no município um centro internacional de investigação em dança dedicado à criação contemporânea, à formação e à qualificação artística através da partilha de processos e obras artísticas, e à difusão de trabalhos performativos para públicos diversos.

Até ao início de 2022, a Casa da Dança propõe acionar dimensões afetivas entre artistas e públicos, ativando estúdios, espaços públicos e teatros da cidade de Almada como campos relacionais voltados ao convívio, à fricção, à reflexão e ao encontro entre pessoas de diferentes contextos culturais e sociais. Para criar uma maior proximidade com a comunidade local apresentará uma série de dispositivos voltados à partilha artística visando o aprofundamento da relação dos cidadãos com a criação contemporânea. 

A programação tem como foco quatro eixos principais que desenham uma rede conectada de ações: Apoio à Criação, Qualificação Artística, Novas Perspetivas para a Dança e Programação Internacional – TRANSBORDA

Para o Apoio à Criação artística, a Casa da Dança continuará a acolher RESIDÊNCIAS de processos de criação de artistas no estúdio do Ponto de Encontro, em Cacilhas. E proporcionará no final das residências partilhas públicas de processos, acrescentando diferentes olhares e abordagens aos seus trabalhos, assim como a possibilidade de experimentar e testar propostas com a participação de espetadores. 

A Casa da Dança dará início a um projeto singular de Qualificação Artística dirigido a profissionais e estudantes de dança e de outras artes performativas, promovendo criações participativas em performances dirigidas por coreógrafos internacionais, as OFICINAS/PERFORMANCES. As criações proporcionarão o contato direto com as propostas, modos de trabalho e práticas exercidas por diferentes criadores contemporâneos. Em tempos de reflexão sobre o futuro das artes torna-se urgente mudanças de paradigmas nas relações internacionais visando o aprofundamento dos encontros e intercâmbios. 

A Casa da Dança propõe com o eixo Novas Perspetivas para a Dança uma ampla reflexão participativa sobre o papel de uma Casa da Dança no panorama português atual e seus principais focos de ação. Esta reflexão inicia-se com uma equipa de coreógrafos, amplia-se com a realização de CONVERSAS com diretores de Casas de Dança e Centros Culturais inovadores de diferentes países e abre-se ao debate coletivo convidando a comunidade de dança. 

Paralelamente, a Casa da Dança dará continuidade a uma Programação Internacional com ESPETÁCULOS no Fórum Municipal Romeu Correia e na Casa Municipal da Juventude de Cacilhas de cinco trabalhos programados na TRANSBORDA – 1ª Mostra Internacional de Artes Performativas de Almada, com os coreógrafos Michelle Moura, João Fiadeiro e Carolina Campos, Sofia Dias e Vítor Roriz, Eduardo Fukushima, Jonas e Lander. Em fevereiro e março de 2022, realizar-se-á a 2ª edição da TRANSBORDA apresentando uma programação internacional, que inclui ainda uma criação participativa, conversas e oficinas com coreógrafos convidados.

A Casa da Dança ampliará, assim, o acesso e a qualificação artística no município, apoiando artistas e interligando propostas conetadas ao presente e que refletem sobre o futuro da dança e das artes performativas contemporâneas.