30 SET 2021, 19h

  • CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE CACILHAS - Ponto de Encontro

COBERTOS PELO CÉU

GUSTAVO CIRÍACO

Concepção, direção e coreografia: Gustavo Ciríaco

Cenografia: Gonçalo Lopes

Com os performers participantes do LAB Cobertos pelo Céu: Carolina Faria, Ana Pinto, Suiá Burger Ferlauto, Alegria Gomes, Admila Cardoso, Anna Chiara Palermo, Sara Gomes Venâncio, Sara Anjo Freitas, Maíra Botelho

Colaboradores: Performers (Paisagem em Linha) André Cabral (Pt), Alina Folini (Ar), Bartosz Ostrowski (Pl) Filipe Caldeira (Pt), Gabriela Dória (Br), Gonçalo Lopes (Pt); Sara Zita Correia (Pt), Tiago Barbosa (Pt)

Apoios a residência: DEVIR – Centro de Artes Performativas do Algarve (Faro/Pt), Pico do refúgio (Rabo de Peixe/Pt), Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas (Ribeira Grande/Pt), 23 Milhas/Fabrica de Ideias (Gafanha de Nazaré/Pt), GNRation (Braga/Pt), Casa de Dança de Almada (Almada/Pt), Cia Instável e Museu Fundação de Serralves (Porto/Pt) e Espaço Novo Negócio/ZDB (Lisboa/Pt)

Apoio República Portuguesa – Cultura | DgARTES – Direção-Geral das Artes

Cobertos pelo Céu – um passeio para o infinito conta com o Apoio à Co-produção de Espetáculo 2020-2021 /IBERESCENA.

Informações: https://www.casadadanca.pt/informacoes/

Fotografia©Mariana Lopes Runge

COBERTOS PELO CÉU é um projeto transdisciplinar centrado na relação entre paisagem e arte com vista à criação de uma coleção de instalações e performances concebidas pelo coreógrafo Gustavo Ciríaco em colaboração com artistas de Portugal, Brasil, Argentina e Chile.

O projeto toma como desafio inventar maneiras de traduzir e re-instalar experiências de paisagem vividas por artistas donos de uma poética espacial singular.  O desejo é tornar visível e experiencial o processo dinâmico através do qual são criadas suas arquiteturas efémeras particulares e ajudar a repensar o inominável que elas convocam.

Para a Casa de Dança, o projeto escolhe as experiências de paisagem da coreógrafa brasileira Luciana Lara e do músico e artista multimídia português Jonathan Uliel Saldanha para partilhar a investigação em torno das linhas do relevo (Lara) e dos hábitos simbólicos e motores de um ritual (Saldanha) que demarcam e fundam suas experiências de paisagem mais marcantes.

Paisagem em Linha, performance criada a partir da experiência de paisagem da coreógrafa Luciana Lara e uma das peças desenvolvidas no laboratório de criação, tem estreia no Festival Temps d´Images nos dias 23 e 24 de Outubro na Galeria Municipal Avenida da Índia, em Lisboa.

 

Gustavo Ciríaco é um coreógrafo e artista multimídia brasileiro baseado entre Lisboa e Rio. Ao longo dos anos, Ciríaco tem desenvolvido um conjunto multiforme de obras que se situam entre a dança e as artes visuais, passando por espetáculos, intervenções urbanas, exposições vivas e obras site-specific onde a arquitetura, a paisagem e a ficção encontram-se em performances conversacionais. Suas obras foram vistas em festivais como Crossing the Line/N.Iorque; Casa Encendida/Madrid; Museu Serralves/Porto; Mercat de Flors/Barcelona; SESC-SP/São Paulo, Al-Mammal Foundation/Jerusalém; TWS/Tóquio; DAC/Taipei; Haus der Kulturen der Welt, Tanz im August/Berlim; Paris Quartier d´Été/Paris; Panorama, CCBB/Rio; FADJR/Teerão; London Festival/Londres; Nave/Santiago, San Art/Saigão; Alkantara, Fundação Gulbenkian, Culturgest, TNDM II, Teatro Maria Matos, ZDB/Lisboa, entre outros.