18 JUN 2021, 19h

  • FÓRUM MUNICIPAL ROMEU CORREIA - Auditório Fernando Lopes-Graça / Programação TRANSBORDA

O QUE NÃO ACONTECE

SOFIA DIAS & VÍTOR RORIZ

Direcção, interpretação, texto e vídeo: Sofia Dias & Vítor Roriz
Desenho de Luz: Thomas Walgrave
Espaço Cénico: Thomas Walgrave, Catarina Dias (desenho), Sofia & Vítor
Assistência à Dramaturgia: Alex Cassal
Assistência à Direção e Figurinos: Filipe Pereira
Som/Música: Sofia Dias, incluindo versão de Philadelphia de Neil Young
Operação de Som e Vídeo: Pedro Costa/João Gambino
Direção Técnica: Nuno Borda de Água
Produção: S&V e Vítor Alves Brotas – Agência 25
Coprodução: Alkantara
Apoio em Residência: Culturgest, Alkantara, TNDM II, CNB

Classificação etária: M/6

Duração: 70 min.

Preço: Adultos – €6 | Jovens, Seniores e Grupos – €5

Informações: https://www.casadadanca.pt/informacoes/

O que não acontece da dupla Sofia Dias & Vítor Roriz coloca gestos e palavras em fricção, possibilitando novos sentidos à linguagem falada e à linguagem do corpo.
Ao longo dos dois últimos anos, apresentaram uma série de performances em espaços não convencionais na tentativa de isolar e questionar os elementos da sua pesquisa: a relação do gesto com o texto dito e cantado; o modo como os objetos informam o movimento; a escrita como ato performativo ou ação coreográfica. Agora surgiu a necessidade de transpor essa pesquisa para o espaço convencional de um teatro procurando não perder o carácter imediato, lúdico e imprevisível que essas performances tinham. Uma síntese, sobretudo do que ficou por fazer. Sem pausas, sem espaços em branco, sem pontuação, em scriptio continua.

 

Sofia Dias & Vítor Roriz são uma dupla de coreógrafos a colaborar desde 2006 na pesquisa e conceção de vários trabalhos apresentados em mais de 17 países. Os seus trabalhos centram-se na articulação entre a voz, a palavra, o som e os objetos com o corpo, o gesto e o movimento. Enquanto dupla têm colaborado com diversos artistas tais como, Catarina Dias, artista visual e colaboradora de longa data, Lara Torres, Marco Martins, Clara Andermatt, Mark Tompkins e desde 2014 apresentam António e Cleópatra de Tiago Rodrigues e Sopro (2017) do mesmo diretor. Leccionam regularmente aulas e workshops e têm vindo a organizar residências e encontros de reflexão entre artistas em diferentes contextos.