21 NOV 2020, 21h30

  • FÓRUM MUNICIPAL ROMEU CORREIA - Auditório Fernando Lopes-Graça

MUYTE MAKER

FLORA DÉTRAZ

Concepção Flora Détraz
Interpretação Mathilde Bonicel, Inês Campos, Flora Détraz e Agnès Potié
Cenografia e figurinos Camille Lacroix
Desenho de luz/operação Arthur Gueydan/Eduardo Abdala
Desenho de som/operação Guillaume Vesin/Colombine Jacquemont
Colaboração artística Anaïs Dumaine
Produção PLI
Residências artísticas Espaço Alkantara(PT), O Espaço do Tempo (PT), Les Éclat(s) Chorégraphiques (FR) e L’Avant-Scène (FR)
Coprodução CCN de Caen Normandie; Ramdam-un Centre d’Art (FR); Relais Culturel des Pays de Falaise (FR); Pact-Zollverein (DE); La Place de la Danse CDCN (FR); Le Réseau des Petites Scènes Ouvertes (FR), Alkantara (PT), no âmbito da rede europeia DNA – DEPARTURES AND ARRIVALS
Apoio Région Normandie, DRAC Normandie

Classificação etária: M/6

Duração: 50 min.

Preço: Adultos – €6 | Jovens, Seniores e Grupos – €5

Através de uma exploração de imagens medievais, cantilenas triviais e pinturas grotescas, Muyte Maker celebra corpos desobedientes, anormais e irracionais. Muyte Maker examina a alegria como afirmação física e existencial: a alegria como desejo e potencial criativo e como distorção física ou contradição, que vai contra a maré da moralidade. As intérpretes cantam copiosamente, riem polifonicamente, dançam cegamente e tagarelam cacofonicamente, numa tentativa de traduzir toda a complexidade dos seus próprios corpos.

 

Formada em ballet e estúdios literários, Flora Détraz integra o curso de dança dirigido por Maguy Marin (CCNR, Lyon) e participa no programa de pesquisa coreográfica (PEPCC, Forum Dança, Lisboa). Durante o seu percurso, encontrou-se com artistas que a marcaram, tal como Vera Mantero, Meredith Monk, Meg Suart e Jonathan Burrows entre outros. Enquanto performer, colaborou com Marlene Monteiro Freitas, Miguel Pereira, Laurent Cèbe e Sara Anjo. 
Começou a desenvolver uma pesquisa específica sobre a relação entre voz e movimento. Criou Peuplements (2013), Gesächt (2014), Tutuguri (2016) e Muyte Maker (2018).